Debate sobre protagonismo feminino abre XIV Executive

 
Uma mesa-redonda sobre empoderamento feminino e o papel da mulher nas organizações abriu o XIV Executive, na tarde desta quarta-feira, 6 de novembro. O tradicional evento organizando por alunos do segundo ano do curso de Bacharelado em Secretariado Executivo Trilíngue integra a XXIV Semana Acadêmica do Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE) e segue com atividades até esta quinta, 7.
 
Para o debate foram convidadas a jornalista Larissa Noguchi; a publicitária Lívia Magno; a egressa do curso de Letras - Língua Portuguesa da Uepa e empresária, Aline Correa; e a terapeuta capilar naturalista, Nara Fernandes. Elas apresentaram relatos de experiência, desafios profissionais enfrentados por ser mulher, e o preconceito no ambiente corporativo. Além disso, interagiram com o público e deram dicas para viabilizar as políticas de inclusão nas organizações, entre elas, a mudança de mentalidade e a sororidade. A mediação foi da professora da Uepa, a doutora Rosângela Quintela, que sob uma perspectiva sociológica em razão da área de atuação, sugeriu a construção de uma rede de fortalecimento feminista como alternativa diária contra o preconceito.
   
A programação do primeiro dia encerrou com a palestra A importância da representatividade como ferramenta de transformação social, ministrada pela estudante do 4° semestre de Ciências Sociais da Uepa, Vic Argôlo. A aluna, transativista e membro do Grupo de Estudos Gêneros, Sexualidades, Educações e Gerações (GENSEG), apresentou sua história e desafios no ambiente acadêmico.
 
Diversidade nas organizações - Segundo dados da pesquisa da McKinsey & Company, consultoria empresarial americana, as empresas com quadros mais diversos têm 35% mais chance de retorno financeiro que a média do mercado. Além disso, segundo a mesma pesquisa, as empresas com o equilíbrio de gênero podem atingir até 41% de aumento em lucratividade. 
 
No entanto, no Brasil a realidade é diferente. Ainda há disparidade de salários e de percentuais de ocupação entre mulheres e homens nos cargos decisivos das grandes empresas. Segundo o Instituto Ethos, por exemplo, as mulheres executivas recebem até 24% menos que os homens ocupando os mesmos cargos. Nas 500 empresas brasileiras pesquisadas neste mesmo estudo, apenas 2% dos funcionários são pessoas com deficiência.
 
Os números traduzem a realidade, cujo tema desta edição do Executive (Gestão de diversidade: as políticas de inclusão nas organizações), quer refletir. Presente à abertura, o reitor da Uepa, Rubens Cardoso, elogiou o formato do evento e ressaltou o papel do secretário executivo em liderar ambientes mais humanos no mundo corporativo. “Para um secretário executivo, que o cargo traz uma responsabilidade de liderança e lidar com a diversidade, é fundamental ter o aplainamento dessa percepção para transformar a diversidade em vantagem para a orgnização, possibilidade de agregar valor, e se constituir como um diferencial”, afirmou Cardoso. 
 
Para o coordenador do curso, o secretário executivo Marcelo Correia, é urgente o debate sobre diversidade na academia, em função do lugar que as universidades ocupam na sociedade. “A universidade ainda é um dos únicos espaços que a gente tem uma certa liberdade para falar, discutir e entender a sociedade. A diversidade está sendo discutida hoje de uma maneira mais forte, mas isso é um debate desde a década de 90. A diversidade está muito além da pessoa com deficiência na empresa. Envolve as raças, as orientações sexuais e discussões muito mais profundas. A gente vive numa sociedade diversa, plural e devemos respeitar. Nada mais oportuno do que discutir na casa da sociedade, que é a universidade pública”, explicou o coordenador, que parabenizou a turma pela escolha do tema.
 
2º dia - O XIV Executive segue nesta quinta, a partir das 14h, no auditório Paulo Freire, do CCSE. O destaque será a presença da artista transexual de Belém, engajada em causas ambientais, Leona Vingativa, que participa da mesa-redonda Vivências e Convivências: os desafios e as perspetivas contemporâneas sobre a pluralidade sociocultural, e da programação cultural. Também está programado o painel Inclusores e incluídos: o respeito à diversidade nas organizações. O encerramento será com a poeta, cantora e compositora, Anna Suav.
 
Mais informações: @eventoexecutive
 
Texto: Ize Sena
Foto: Marcelo Sarmento e Marcela Bomfim