Primeiro e-book e ambulatório celebram 75 anos da Escola de Enfermagem

 
Lançamento do primeiro e-book, exposição itinerante, minidocumentário em realidade virtual, palestra, café da manhã e missa foram os destaques desta terça-feira, 5 de novembro, na programação de aniversário do mais antigo curso da Universidade do Estado do Pará (Uepa), abrigado no Campus IV, Escola de Enfermagem Magalhães Barata (EEMB), em Belém. A programação que celebra os 75 anos do Curso de Enfermagem da Uepa encerra nesta quarta-feira, 6, com a inauguração de um ambulatório, mesa redonda sobre a trajetória da enfermagem no Estado do Pará, com as professoras Alzira Simor, Maria Tita Sacramento e Maria de Ribamar Aranha, seguida de um coquetel e um jantar dançante para integrantes do campus.
 
Entre os destaques da quarta-feira, a publicação do livro "A Prática Humanizada da Enfermagem na Virada do Novo Milênio: Comemoração dos 75 anos da Escola de Enfermagem Magalhães Barata", primeiro e-book produzido pelo campus, por meio do Núcleo de Pesquisa e Pós-Graduação da Escola de Enfermagem (NUPEP), sob a coodernação do professor José Augusto Carvalho de Araújo, em parceria com a Editora da Uepa (Eduepa). 
 
No total, 22 artigos compõem a publicação, formada por alunos, professores e egressos da Instituição. O livro está disponível para download no site da Eduepa, pelo link direto: https://paginas.uepa.br/eduepa/index.php/2019/11/04/a-pratica-humanizada-da-enfermagem-na-virada-do-novo-milenio-comemoracao-dos-75-anos-da-escola-de-enfermagem-magalhaes-barata/
 
Segundo o professor Augusto Carvalho, a relevância do e-book está na qualidade da produção e nos temas abordados, com destaque para a humanização dos profissionais da área e o fomento à pesquisa com olhar para as questões específicas da região. "Os artigos abordam pesquisas que aliam teoria e prática de enfermagem de profissionais já experientes e alunos que também já produzem pesquisas relevantes na área. Nosso objetivo com o e-book é estimular e difundir mais ativamente esta produção", ressaltou. 
 
A programação de aniversário dos 75 anos da EEMB também contou com a palestra do coordenador do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UNIRIO), professor doutor Fernando Porto, que abordou a trajetória da enfermagem do Brasil, através de práticas e publicações da área desde os primórdios do ofício no país.
 
Novo ambulatório - Outro destaque do aniversário de 75 anos da Escola de Enfermagem é a inauguração do ambulatório do campus, nesta quarta-feira, 6. O espaço pretende responder uma demanda da comunidade acadêmica por atendimento básico de saúde, incluindo atenção à saúde mental. O ambulatório, destinado a servidores, professores e alunos, contará com a atuação de dois médicos, um psicólogo e dois estagiários de enfermagem.
 
Para a coordenadora da Escola de Enfermagem Magalhães Barata, Margareth Bittencourt, o ambulatório simboliza uma grande conquista para toda a comunidade acadêmica. "Estamos muito felizes com a inauguração do ambulatório. A importância deste espaço é prestar atendimento médico e psicológico a alunos, docentes e servidores em geral, além de dar suporte gratuito aos membros da comunidade acadêmica que necessitem da avaliação e encaminhamento médico e psicológico", afirmou.
 
Experiência em 360º e Exposição Itinerante - O público pode assistir o minidocumentário "Quando nasce uma heroína", primeiro curta de ficção em realidade virtual da América Latina, que conta a história da enfermeira Anna Nery. A ambientação do vídeo remonta o ano de 1868, durante a Guerra do Paraguai (1864-1870), e todos os instrumentos utilizados pela enfermagem naquela época. A heroína interage com o espectador que vê a experiência através de óculos em 360º.
 
O curta, produzido pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen), foi premiado como melhor experiência de realidade virtual no festival de curta-metragens “Indie”, do The South African Independent Film, ocorrido no último dia 26 de maio, na África do Sul. O filme também está disponível online, pelo link https://www.youtube.com/watch?v=4nbq53Tsjt8
 
Aliado ao documentário, o Cofen também promoveu a exposição "Indumentária do cuidar: Símbolo de identidade da enfermagem brasileira no período de 1890 a 1942", que resgata a história da Enfermagem através da indumentária. A exposição é iniciativa do Museu Nacional de Enfermagem (MuNEAN), em Salvador, e faz um recorte temporal na história da enfermagem brasileira, tendo como pano de fundo a evolução dos uniformes utilizados desde as cuidadoras, Irmãs de Caridade de São Vicente de Paulo até as profissionais da década de 40 no Brasil.
 
 
 
 
Texto e Fotos: Nailana Thiely