Sael VII explora o percurso da língua

 

Do Gênesis ao “entre espaço” das conexões virtuais: expressões linguísticas e literárias na contemporaneidade é o tema da sétima edição da Semana Acadêmica dos Estudantes de Letras (Sael VII), organizada pelo Centro Acadêmico de Letras (Calem) da Universidade do Estado do Pará (Uepa). O evento se estende até o próximo dia 7 e propõe aprofundar a relação entre a língua e a tecnologia.

O tema da Sael VII foi pensado pela organização do evento para aproximar os estudantes de Letras – Língua Portuguesa, Língua Inglesa e Libras - aos aspectos relativos ao percurso, permeado por modificações, que a língua percorreu desde seu surgimento e suas primeiras manifestações até a atualidade. “Sabe-se que a melhor forma de transcorrer pela academia se dá quando os discentes têm contato com reflexões, temas e debates os quais possibilitam a aplicação das diversas teorias linguístico-literárias estudadas e aplicadas no mundo e na vida”, disse um dos coordenadores do evento, Jonathan Cardozo.

Ao trazer os meandros das Conexões Virtuais no “entre espaço” para as discussões centrais da Sael, por meio de um olhar contemporâneo, o Calem busca conscientizar a comunidade acadêmica acerca do que seria este “entre espaço”. “Este conceito foi definido por Homi K. Bhabha como o interstício entre fronteiras, ou seja, o ponto fronteiriço que está além do real e do papel, onde ocorre troca de culturas e um hibridismo linguístico que não permite que nenhuma língua se perca em tamanha mistura. Sendo o entre espaço o estado de formação de uma outra personalidade, no qual diversos pensamentos irão convergir e gerar um novo”, explicou Cardozo. A Internet surge associada a este campo: local de livre expressão, pensamento, comunicações, troca de informações, comportamentos entre outras práticas.

A primeira palestra foi ministrada pela professora doutora Ayvânia Pinto, que fez questão de elogiar a escolha temática dos alunos. “Para mim é uma honra participar deste encontro, que discute questões pertinentes não apenas para os alunos dos cursos de Letras, mas para a sociedade em geral”, disse. Em sua explanação, a professora contou sobre a evolução da língua e das transformações proporcionadas pela tecnologia ao longo dos séculos.

“A pedra e a madeira também eram tecnologias que a humanidade tinha naquele momento. Armazenar informação em qualquer suporte sempre foi algo moderno. Em todas as inovações de suporte, e o meio virtual é uma delas, a escrita vai se adaptando”, observou Pinto.

Este ano, a Sael realiza uma campanha de doação de brinquedos para a Casa do Papai Noel da Casinha Belém. Os participantes interessados devem entregar brinquedos novos ou usados durante a realização do evento. A doação contará um carimbo de presença na tabela de frequência da Sael. Todo o material arrecadado será distribuído em Outeiro (bairro do Brasília) e Mosqueiro (Chapéu virado).

A programação completa do evento pode ser consultada neste site.

 

Texto: Fernanda Martins

Fotos: Nailana Thiely