Estudantes de Medicina realizam pesquisa virtual

 

Contribuir cientificamente para temas pouco abordados é a expectativa dos estudantes do curso de Medicina da Universidade do Estado do Pará (Uepa), Gabriela Paracampo de Albuquerque, Maria Letícia Amorim Piedade, Clara Inês Mesquita Pereira, Gabriela Sobral Santos Andrade e Antonio Pedro de Figueiredo Pessoa que, sob a orientação do professor Sérgio Beltrão de Andrade Lima, realizam um questionário virtual para coletar dados para desenvolver o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) sobre saúde sexual e saúde mental dos estudantes de graduação da cidade de Belém.

 

A ideia para o TCC começou a ser desenvolvida com o Trabalho de Conclusão Anual (TCA), em 2019, para a disciplina Gestão, Interação, Ensino, Serviço e Comunidade. A matéria exigia uma pesquisa que precisava ser apresentada para a conclusão do ano durante o curso. Esta foi feita com os alunos dos cursos da área de Saúde da Uepa. “Os dados interessantes da primeira versão da pesquisa fez com que a gente decidisse expandir o questionário para realizar o TCC”, explica Gabriela Paracampo, uma das pesquisadoras do trabalho.

 

A construção do questionário demorou de cinco a seis meses, para que as perguntas fossem feitas da melhor forma possível, já que os temas como saúde mental e saúde sexual ainda são considerados tabus. A participação é sigilosa e nenhum tipo de dado pessoal é solicitado. A única identificação dos participantes é pelo número de matrícula, para evitar respostas repetidas, e que, ao final, será alterado para outro código. O questionário contém perguntas sobre temas sensíveis como, sinais e sintomas de depressão e ansiedade; violências verbal, física e sexual; práticas sexuais e comportamento de risco; e uso de substâncias. Por isso é fundamental que o participante se sinta seguro para responder as perguntas.

 

A meta é conseguir 2.345 respostas para a tabulação dos números, mas quanto mais respostas melhor para a construção de um banco de dados mais próximo da realidade. “Esse é um projeto guarda-chuva, já que os dados, além de originar mais de um TCC, também poderão dar origem a artigos científicos para serem publicados em periódicos especializados”, explica a estudante Gabriela. O público alvo da pesquisa são todas as pessoas que fazem curso de graduação presencial em Belém em uma das universidades ou centros universitários da capital: Uepa, Universidade Federal do Pará (UFPA), Centro Universitário Metropolitano da Amazônia (Unifamaz), Centro Universitário do Pará (Cesupa), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Universidade da Amazônia (Unama) ou Faculdade Integrada Brasil Amazônia (Fibra).

 

A publicação dos resultados também é para que os profissionais de saúde analisem e consigam perceber se há ou não diferenças entre a população que é atendida diariamente por eles, considerando fatores como idade, renda, raça, entre outros dados analisados. A proposta é tornar os resultados públicos para alcançar o maior número de pessoas. “Os dados são importantes para que a gente mude a nossa visão dentro dos sistemas de saúde, para que a gente consiga compreender porquê acontecem os comportamentos sexuais de risco e o que as pessoas estão fazendo de não saudável, seja por fatores sexuais ou mentais. É muito importante que o público da graduação, escolhido porque a gente achou que seria mais fácil e exequível, colabore com a pesquisa”, finaliza Gabriela.

 

Texto: Marília Jardim (Ascom Uepa)