I Fórum das Universidades Estaduais da Amazônia encerra programação

 
Reitores das universidades estaduais da Amazônia e demais autoridades participaram da mesa de abertura do Fórum. (Foto: Marcelo Rodrigues/ Ascom Uepa)

 

Desde a manhã de ontem, 23, cerca de 250 pessoas da região amazônica estiveram participando do I Fórum de Integração das Universidades Estaduais da Amazônia, cujo o tema é Saberes, Ciências e Propostas Regionais e tem a Universidade do Estado do Pará (Uepa) como anfitriã do evento. 

Na abertura da programação, organizada pelo Fórum de Reitores das Universidades Estaduais da Amazônia, presidido pelo reitor da Uepa Clay Chagas, compuseram a mesa solene, autoridades de órgãos do governo do Pará, como presidente da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), Marcel Botelho; Marinor Brito, do Comitê Estadual de Mudanças Climáticas para a Cop-30, e Vanessa Vasconcelos, representando o presidente da Fundação Paraense de Radiodifusão (Funtelpa), Miro Sanova.

Também estiveram presentes Augusto de Rezende Campos, reitor da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins) e vice-presidente do Fórum dos Reitores, Luciléa Ferreira Lopes Gonçalves, da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (Uemasul), Walter Canales, reitor da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), e a Pró-Reitora de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat), professora Áurea Regina Alves Inácio, representando a reitora Vera Lúcia Maquêa,


Em seguida, foi realizada a conferência de abertura com Philip Martin Fearnside do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), com o tema A Amazônia e as Mudanças Climáticas. Ainda na tarde de ontem e na manhã desta sexta, 24, foram realizadas as discussões de cinco Grupos de Trabalho (GTs) formados por representantes das universidades e da sociedade civil.

Após as discussões, os resultados dos GTs Saúde e Ambiente, Crédito de Carbono, Educação Ambiental, Práticas Relacionadas aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e Desenvolvimento Sustentável foram apresentados em uma plenária, com propostas a serem desenvolvidas, em diversas áreas, pelas universidades, de forma parceria, em prol do desenvolvimento sustentável, com previsão de resultados até 2025, quando será realizada  30ª Conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre Mudanças Climáticas (COP-30), em Belém.

Com grande comitiva presente no evento, a Unitins fez um trabalho anterior ao evento, dentro da universidade e apresentou previamente para a comunidade acadêmica propostas que foram apresentadas no Fórum, conforme relata a professora do curso de Engenharia Agronômica Juliana Alves, da Unitins. Para ela, o balanço da programação "é o mais positivo possível". Ela também destaca que essa foi "uma oportunidade de promover a integração entre os professores das universidades, conhecer mais de perto as pesquisas que cada um está realizando e trocar ideias sobre metodologias".

Encerramento

Após a finalização da plenária, foi realizada uma mesa de encerramento, com a presença dos pró-reitores Yveline Leão, da Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), Marcelo Chece, da Universidade Estadual do Maranhão (Uema), Áurea Regina Alves, da Universidade do Estado de Mato Grosso (Unemat) e dos reitores Clay Chagas e Luciléa Ferreira Lopes Gonçalves, da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (Uemasul), que considerou a reunião “exitosa e projeção de mais algumas reuniões mostra a resiliência do grupo”.

O titular da Uepa, Clay Chagas, acredita que o evento "marca o fortalecimento institucional da cooperação entre as universidades". Ele também destacou que, a partir das propostas apresentadas na plenária desta tarde, será produzida uma carta para ser levada a órgãos e instituições, como o consórcio dos estados da Amazônia, para "marcar o nosso papel dentro da política científica das universidades da Amazônia".

Até 2025, o Fórum deve ser realizado semestralmente, sediado em cada um dos estados participantes. Para o ano de 2024, está previsto o evento em Mato Grosso e Maranhão. No primeiro semestre de 2025, Tocantins deve receber a programação e, no mesmo ano, já no segundo semestre, as atividades voltam para Belém, como evento paralelo, mas ao mesmo tempo a integrado, a COP-30.

Texto: Marília Jardim (Ascom Uepa)

Fotos: Marcelo Rodrigues (Ascom Uepa)