I Missão do Projeto Djumbai será realizada na Guiné-Bissau

 
Na foto: Peti Mama, Pedro Pontual, Ticiana Souza e João Colares

 

Com o objetivo de fomentar a cooperação solidária entre Amazônia e África, o projeto de extensão Djumbai: Educação Popular Antirracista e Cooperação Solidária Amazônia & África, realiza, nos dias 22 e 23 de novembro, a I Missão do Projeto Djumbai na Guiné-Bissau. A iniciativa é promovida pela Universidade do Estado do Pará (Uepa) e pela Universidade Federal do Pará (UFPA), tendo como representantes e divulgadores os professores João Colares e Pedro de Carvalho, ambos da Uepa. 

 

A programação do evento conta com a realização de seminários e rodas de diálogos junto à Universidade Colinas de Boé, o Instituto Guimarães Rosa e outros parceiros institucionais, além de reuniões com reitores, ministros de estado, embaixadas e movimentos de educação popular. Esse projeto busca valorizar histórias, memórias, culturas e saberes de povos originários e de ancestralidades africanas, a partir do reconhecimento de suas contribuições no passado, presente e futuro da (Pan)Amazônia, África e América Latina. 

 

Os representantes do projeto desembarcaram na última quarta-feira (16), no Aeroporto Internacional Osvaldo Vieira na Guiné-Bissau, e foram recebidos pelo comandante Mário Cabral, Ministro da Educação no pós-independência do país, com quem o educador Paulo Freire trabalhou e se correspondeu, por meio de cartas publicadas na obra Cartas à Guiné-Bissau: registros de uma experiência em processo. 

 

O programa da I Missão do Projeto Djumbai está sendo articulado em diálogo com os representantes guineenses Huco Monteiro (Universidade Colinas de Boé), Carlos Cardoso (Centro de Estudos Sociais Amílcar Cabral/CESAC) e Peti Mama Gomes (membro da equipe do Djumbai e doutoranda da UFPA).

 

O projeto Djumbai é vinculado à Rede Internacional de Educação Popular Diálogos com África e à Campanha Latino-Americana, Caribenha e Africana em Defesa do Legado de Paulo Freire. Na Uepa, a ação é gerenciada pela Coordenadoria de Relações Internacionais (Crein), em parceria com diversos grupos de pesquisa, projetos de extensão e Programas de Pós-Graduação. O termo Djumbai é originário do crioulo, língua corrente em nível nacional na Guiné-Bissau, e significa encontro, convívio, rodas de partilha, ciranda de diálogos e de saberes. 

 

Texto: Messias Azevedo

Foto: João Colares (Arquivo Pessoal)