Laboratório de Artes e Humanidades Médicas é premiado no 58º Cobem

 

 

O Laboratório de Artes e Humanidades Médicas (LAHM) da Universidade do Estado do Pará (Uepa) recebeu a menção honrosa de destaque no 58º Congresso Brasileiro de Educação Médica (Cobem), realizado neste mês de outubro, com a apresentação do trabalho “Campanha poesia na Universidade do Estado do Pará: quando a extensão convoca a arte como instrumento de ressignificação da pandemia”.

O trabalho premiado na categoria Comunicação oral em relatos de experiência resume o projeto “Poesia na Uepa”, que ocorreu no início da pandemia, e é de autoria da idealizadora do LAHM, professora Luciana Brandão, e tem como co-autores os discentes Marina Pinheiro, Luiz Ferreira, Arthur Rodrigues, Gabriel Frazão.

A Campanha Poesia na Uepa foi uma ação em prol da integralidade da saúde, idealizada pelas equipes do Laboratório de Artes e Humanidades Médicas (LAHM) e da Assessoria de Comunicação (Ascom), com o objetivo de contribuir para uma cultura do cuidado que promovesse o laço afetivo entre as pessoas, tendo a arte poética como o principal elo de união e expressão simbólica.

A campanha consistiu em uma série de publicações diárias nos perfis do Laboratório no Twitter e Instagram, de poemas escolhidos a partir de uma convocatória pública. Neste processo, em que a comunidade em geral enviou poemas autorais, estiveram envolvidos 16 discentes do curso de Medicina, além da professora Luciana Brandão, durante 120 dias ininterruptos de projetos. Foram registrados mais de 600 poemas publicados, em suporte audiovisual ou por meio de layouts, que alcançaram um público além da comunidade universitária, com a participação de pessoas do interior do Pará e de outros Estados.

A natureza dessa dinâmica editorial e as opções tecnológicas adotadas contribuíram para a implantação de um programa de Rádio na web rádio da Uepa, ainda em fase de testes, além da edição de um livro com o conteúdo da campanha, que após impresso terá distribuição gratuita para as bibliotecas da rede pública de ensino do Pará, em parceria com outros projetos de difusão da leitura, porém ainda sem previsão de data de lançamento.

58º Cobem - Além do trabalho premiado, foram apresentadas outras publicações científicas no evento: “O nascimento do programa de rádio do laboratório de artes e humanidades médicas da Universidade do Estado do Pará no contexto da pandemia”, de autoria da professora Luciana Brandão e co-autoria dos alunos Daniel Kahwage, Gabriela Paracampo, Maria Bührnheim e Taiane Silva; e a pesquisa “Oficina de literatura sobre o tema morte e morrer: uma estratégia curricular a graduação de medicina como contribuição na formação humanitária”, de autoria da discente Ana Paula Ferreira com a participação de Luciana Brandão e do discente João Vitor Carneiro.

“A participação do Laboratório de Humanidades Médicas da Uepa em eventos ligados à educação médica, como o Cobem, nos possibilita a intensificação do intercâmbio com experiências e realidades que envolvem outros grupos e escolas médicas, além de mover discentes e docentes da nossa própria Instituição. De modo que a gente também tem a possibilidade de apresentar resultados de pesquisas e dialogar sobre eles com outros pesquisadores que tem a mesma filosofia e objetivos similares para, dessa forma, podermos abrir novos caminhos para um trabalho inovador, tal como quando trazemos para o seio da educação médica a arte como instrumento transformador. Portanto, é muito gratificante ver nossas pesquisas florescendo dentro desses contextos, além de que nesta edição tivemos também uma participação ativa na programação cultural e na organização do evento”, afirmou a idealizadora e coordenadora do Laboratório de Humanidades Médicas da Uepa, professora Luciana Brandão.

 “A nossa participação no 58º foi muito gratificante pela possibilidade de sociabilização das nossas pesquisas, além do contato com pesquisadores de todo território nacional, sinto que momentos assim, contribuem para a consolidação do nosso trabalho dentro do Laboratório de Humanidades Médicas da Uepa”, comentou o discente do nono semestre de medicina, Daniel Kahwage.

 

Texto: Daniel Leite Jr
Foto: Laboratório de Humanidades Médicas da Uepa.