Uepa cria Grupo de Trabalho sobre Coronavírus

 

 

Com o objetivo de atuar na educação em saúde, propor medidas específicas para a universidade e divulgar recomendações à comunidade acadêmica acerca do cenário epidemiológico da doença COVID-19, a Universidade do Estado do Pará (Uepa), definiu, na manhã desta segunda-feira, 16 de março, a criação do Grupo de Trabalho sobre Coronavírus na Uepa.

O grupo é presidido pelo professor Dr. Pedro Fernando da Costa Vasconcelos, membro Honorário Internacional pela American Society of Tropical Medicine and Hygiene (ASTMH, na sigla em inglês), e pelas professoras Consuelo Oliveira, Irna Carneiro, Cléa Bichara, Vera Palácios e Regina Carneiro.

Como até esta segunda-feira, 16, o Estado do Pará ainda não anunciou nenhum caso oficialmente diagnosticado da COVID-19, as atividades da Universidade seguem o calendário acadêmico, mantendo as atividades, e as recomendações iniciais alinhadas às da Organização Mundial da Saúde (OMS) e  Ministério da Saúde. “Seria talvez precipitado neste momento fazer qualquer suspensão de atividades dentro da Uepa. Obviamente que os cuidados necessários para prevenir devem estar bem expostos ao público para que tomem medidas para evitar a COVID-19, como uso de proteções individuais, a lavagem constante das mãos com sabão ou álcool em gel, evitar o contato e evitar compartilhamento de objetos pessoais, por exemplo”, ponderou o professor Dr. Pedro Vasconcelos.

No caso de um novo cenário, em que a transmissão estiver alta, a mudança de comportamento e rotina será imprescindível no enfrentamento do coronavírus. As medidas gerais válidas fornecidas pelo Ministério da Saúde na última sexta-feira (13), a todos os estados brasileiros, incluem o reforço da prevenção individual com a etiqueta respiratória (como cobrir a boca com o antebraço ou lenço descartável ao tossir e espirrar), o isolamento domiciliar ou hospitalar de pessoas com sintomas da doença por até 14 dias, além da recomendação para que pacientes com casos leves procurem os postos de saúde.  O uso de máscaras não está recomendado para pessoas sem sintomas da doença.

O reitor da Uepa, Rubens Cardoso, reiterou que a Universidade adotará as recomendações da OMS para evitar a disseminação da doença. “Em um primeiro momento o reforço será dos materiais de higiene individual nos campi e o reforço na educação em saúde, por meio de informações atualizadas sobre as medidas da Universidade na prevenção e contenção do vírus”, afirmou.

Aos que apresentarem sintomas sugestivos de virose respiratória, recomenda-se evitar a ida aos campi da Uepa,  contatar a Vigilância Epidemiológica do município de Belém, por meio do telefone (91) 98417-3985 ou com órgãos análogos nos demais municípios.  Também recomenda-se consultar sempre fontes oficiais de informações, como o aplicativo Coronavírus – SUS para informações sobre a doença, disponível para iOS (https://apps.apple.com/br/app/coronav%C3%ADrus-sus/id1408008382) e para Android (https://play.google.com/store/apps/details?id=br.gov.datasus.guardioes).

Nos próximos dias, a Universidade lançará uma nota inicial com informações e links de documentos oficiais. Posteriormente divulgará, se necessário, novas recomendações e adaptações de procedimentos administrativos.

 

Texto e foto: Nailana Thiely/ Ascom Uepa